Manuel Marques
Sejam bem-vindos!
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
Áudios
Lisboa
Data: 08/03/2008
Créditos:
Autoria e voz: Manuel Marques
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Lisboa

Quantas viagens e acessos reconhecidos
de fúria, prazer ou mero encantamento
quantas viagens de luxúria
ou descidas aos infernos da ignorância
quantas as vezes te amei de peito aberto
quantas as vezes te percorri sem o medo
sem a intensa frustração de ter que partir

Lisboa de minh'alma, de meu corpo em frenesim
houve os tempos do poeta sentado no café
a sustentar os dias em que não trabalhava
para que hoje sejas lida para além do óbvio
quantas as vezes te li e nunca te senti
como aquelas em que te vejo

Lisboa eu amo-te, amante perversa
de orgasmos interrompidos pela dor
de fugidias subidas ao Céu
interrompidas pelo nojo
da ausência, da destruição, da indiferença

Quantas vezes te percorri, já não sei
não vou nunca quantificar os amores que te conheci
as sensações de loucura que lá vivi
dentro de ti ó Lisboa
De minh'alma, de corpo e coração!

http://manuelantoniomarques.blogspot.com
Enviado por Manuel Marques em 01/04/2007
Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários